Inserir Notícia

Rivaldo Souza fala sobre Contabilidade Consultiva

 

 

Rivaldo Souza é Bacharel em Ciências Contábeis e possui MBA em Auditoria e Controladoria, além de ser docente há mais de seis anos na área financeira

 

 

A Contabilidade utiliza como objeto de estudo o patrimônio financeiro de instituições, sejam elas públicas ou privadas. Ela é uma ciência aplicada a medir a realidade econômica, além de ser uma importante ferramenta para tomada de decisões dentro de uma empresa.

 

É através dos registros contábeis que se pode verificar a saúde financeira da empresa. Com esses registros, é possível conhecer o passado da instituição, o presente, e, fazer previsões sobre tomada de decisões e planos no futuro.

 

Segundo a resolução CFC n° 560/83 normatizada pelo Conselho Federal de Contabilidade, diversas funções foram incluídas as atividades do profissional de contabilidade. Dentro da Contabilidade existem diversos campos para o profissional atuar: Contabilidade Financeira, Contabilidade Fiscal, Contabilidade Governamental, Contabilidade Rural, Contabilidade Internacional, Contabilidade Bancária, Contabilidade Imobiliária, Auditoria, Perícia, Contabilidade Social, Contabilidade Gerencial.

 

O mercado contábil é bastante amplo, com isso, ele apresenta diversas alternativas para que cada profissional escolha em que campo pretende atuar. Seja lá qual caminho ele decidir seguir, é imprescindível que a informação contábil seja sempre segura, elucidativa, ágil para que possa ser utilizada como fonte para tomada de decisões.

 

O Blog da Gestão Financeira conversou com o consultor Rivaldo Souza sobre Contabilidade Consultiva, um dos campos de atuação que o profissional da área contábil pode atuar. Rivaldo é bacharel em Ciências Contábeis pela FACIG, possui MBA em Auditoria e Controladoria pela Uninassau, é docente na área financeira há mais de seis anos e sócio fundador da CGN Soluções empresariais exercendo as funções de consultor empresarial e contador. Rivaldo nos esclareceu algumas dúvidas sobre o assunto. Confira:

 

BGF: O que é a Contabilidade Consultiva?

 

Rivaldo Souza: A Contabilidade Consultiva são informações contábeis utilizadas amplamente para gestão e tomada de decisões. Os usuários de serviços contábeis se valem desses dados para analisar e decidir sobre a evolução dos negócios, nesse contexto, podemos dividir a contabilidade em duas fases: a fiscal e a gerencial (consultiva).

 

BGF: Como se tornar um contador consultor?

 

Rivaldo Souza: Para se tornar um contador consultor é preciso entender o funcionamento de uma empresa e principalmente ter uma visão analítica de cenários. Muitos contadores em sua formação voltada para a contabilidade fiscal (assessoria) pecam muitas vezes na falta de visão de empreendedorismo e mercado. No meu caso, adquiri experiência em empresas de pequeno porte até em multinacionais, por exemplo, a Coca Cola. Nos setores de Auditoria Financeira, Financeiro, Controladoria, Contabilidade, Custos e Planejamento.

 

BGF: Como vender Contabilidade Consultiva para novos clientes?

 

Rivaldo Souza: A venda de um serviço como o da Contabilidade Consultiva vai depender muito do perfil dos novos clientes e um fator principal para esses clientes é a organização e a fidelidade nas informações. A abordagem muitas vezes é quando o cliente tem dificuldade em conhecer seus números, exemplo das micro e pequenas empresas, que em muitos casos estão gastando a mais. Geralmente, na abordagem com um novo cliente é feito um questionário e um levantamento de alguns pontos como o faturamento da empresa mensal, quantidade de funcionários, retirada de pró-labore, os controles administrativos que a empresa possui. Após esse levantamento é realizada uma pequena consultoria para fazer um ponto de corte do antes para o depois. Em muitos casos, principalmente em micro e pequenas empresas se tem um nível de controle muito baixo ou não tem.

 

BGF: Como lidar com aqueles clientes que omitem informações e atrapalham no trabalho do contador?

 

Rivaldo Souza: É importante lembrar que os levantamentos de dados e informações para escrituração contábil é responsabilidade de todos os envolvidos. Ou seja, cada um deve zelar pela parte que cuida para que os resultados sejam transparentes e esclarecedores para todos. Nesse sentido o sucesso tem que ter o envolvimento de todos. Hoje com a ajuda da tecnologia "O mundo digital" é possível de forma remota conseguir 80% das informações via digital. Exemplo: Senha de consulta à conta empresarial, levantamento das notas emitidas contra a empresa e as notas faturadas, controle dos recebimentos via boleto, cartão e transferência. O difícil muitas vezes é conseguir as informações de gastos em espécie, porém, com controles internos, os dados podem ser rastreados.

 

BGF: Qualquer profissional contábil hoje está preparado para atender a Contabilidade Consultiva?

 

Rivaldo Souza: Qualquer profissional contador pode desenvolver e implantar em seus clientes a Contabilidade Consultiva. Porém, vale salientar que nem todos têm uma visão gerencial e uma sensibilidade em interpretar as informações contábeis para uma realidade do empresário, trazendo principalmente indicadores. Devemos ter cuidado com o que é oferecido no mercado como Contabilidade Consultiva: quanto menos for o espaço para as informações apresentadas melhor para a tomada de decisão. É indicado pelo menos um encontro para fazer uma reunião de resultados por mês.

 

BGF: Como escolher o público-alvo para trabalhar com Contabilidade Consultiva?

 

Rivaldo Souza: Todas as pessoas jurídicas são usuárias de serviços contábeis, independente do faturamento e do número de pessoas envolvidas. Pessoas físicas também podem utilizar à medida que tem atividades que exigem apreciação contábil. O mercado é amplo e o profissional pode definir em qual área para prestar o serviço. Dentre o público alvo o profissional pode escolher por atividades dentre elas: serviços, comércio ou indústria. Dentro de cada uma dessas áreas de atuação existem diversos seguimentos que o profissional pode prestar serviços.

 

BGF: Qual o diferencial que a Contabilidade Consultiva propõe para a Contabilidade tradicional?

 

Rivaldo Souza: Existe ainda um modelo de atendimento no mercado contábil focado em apurações fiscais. A diferença de um para o outro é que a Contabilidade Consultiva visa escrituração e análise da organização como um todo permitindo que se meça a saúde da empresa constantemente. A Contabilidade Fiscal tem foco em apuração de impostos e cumprimento de obrigações acessórias. São modelos de negócios diferentes.

 

BGF: Como definir um valor a ser cobrado pelo seu serviço de consultoria?

 

Rivaldo Souza: Pelo perfil do cliente e o que demandar mais tempo. Geralmente para elaborar um orçamento para a prestação de serviço levam em conta faturamento, operações e transações, área de atuação, quantidade de funcionários entre outros pontos. O contador tem que ser o braço direito do empresário, mostrando a ele como administrar os números de sua empresa para a melhor tomada de decisões.

 

BGF: É possível criar um novo modelo de negócio para a uma empresa utilizando a Contabilidade Consultiva?

 

Rivaldo Souza: Sim. A partir do momento que o empresário conhece os seus números ele pode começar a enxergar possibilidade que antes ele não enxergava na sua empresa. Ele consegue através da Contabilidade Consultiva desenhar um planejamento estratégico assertivo no resultado.

 

BGF: Quais benefícios a Contabilidade Consultiva pode trazer a uma empresa?

 

Rivaldo Souza: Para o sucesso da Contabilidade Consultiva devemos entender que existem três pilares três pilares essenciais que são ser o sustento para o sucesso: a Contabilidade Consultiva, o empresário e a tecnologia. Com esses três pilares alinhados, podemos ter os seguintes benefícios: Empresas administradas a partir de indicadores de resultados; Apuração de fluxo de caixa real e projetada; Apuração de orçamentos anuais (real x realizado); Controle de custos; Aproveitamentos de créditos e benefícios fiscais; Controle de despesas fixas e variáveis; Controle de passivos fiscais; Controle de prejuízos fiscais e financeiros com pagamentos em atraso; Indicadores financeiros (Liquidez, endividamento e rentabilidade).



Link da Matéria Original:

Autor: BisaWeb

Data de Publicação: 24/05/2019

Esta notícia já foi visualizada 302 vezes.


Imprimir notícia       Enviar notícia por email
Seu nome
Seu e-mail
Nome do seu amigo
E-mail do seu amigo

Comentários



Deixe um comentário


Desejo receber notificações se alguém mais comenta a noticia.